Ulmeiro |  lamagueiro, olmo

Ulmus glabra Huds

Família: Ulmaceae  ; Publicação: 1762

Sinónimos: U. Scabra Miller; U. Montana With.

Distribuição geográfica: oeste, centro e sul da Europa, norte e oeste da Ásia. Em Portugal, resiste em algumas serras do norte.

Caducidade: caduca

Altura: até 40m

Longevidade: cerca de 250 anos, podendo alcançar os 400

Porte: árvore grande de copa ampla, primeiro oval-alargada, mais tarde oval-arredondada.
Ritidoma: tronco cinzento-esverdeado, liso em jovem, pardo-escuro, reticulado-fendido e espesso em exemplares adultos.
Folhas: simples, alternas, bastante varáveis, as distais, dos ramos não-ladrões de exemplares bem desenvolvidos, de obovadas a largamente elíticas (até 18 x 13,5 cm), acuminadas, 2-4 dentadas ou serradas, com frequência trífidas, assimétricas na base, com o lóbulo basal igual ou maior que o pecíolo, que fica coberto por aquele; página superior áspera, a inferior pubescente, com até 19 pares de nervuras.
Estrutura reprodutiva: flores agrupadas em cimeiras densas, formando glumérulos rosa-purpúreos; frutos, sâmaras de até 2,5 x 1,8 cm, suborbiculares, asas com 0,7 cm; semente centrada na sâmara.
Floração: março, abril
Maturação dos frutos: final de abril

Habitat e ecologia: solos frescos e pedregosos, algo limosos, tolerando bem os calcários, em margens de cursos de água ou isoladamente em bosques mistos de zonas montanhosas. Ocorre até aos 1800m. Espécie de luz ou meia sombra. Necessita de precipitações anuais entre 800 e 1000mm. Temperaturas desejáveis no inverno inferiores a 4ºC e no verão inferiores a 40ºC. Tolera exposição marítima, o vento, assim como a poluição urbana. É conhecida por atrair vida selvagem, nomeadamente lepidópteros.

Usos e costumes: usada em marcenaria tradicional e sobretudo, noutros tempos para o fabrico de caixões, barcos e carros. A grafiose (Ophiostoma novo-ulmi) tem afectado as populações naturais impedindo o seu cultivo. Utiliza-se como ornamental, ideal para formar bosquetes em zonas húmidas e ladear estradas. As folhas podem ser ingeridas cruas ou cozinhadas, sendo uma boa opção para adicionar a saladas. Os frutos são comestíveis, de um sabor invulgar, aromático e fresco. É uma árvore muito ornamental.

Modos de propagação: Se as sementes forem semeadas logo que estejam maduras, normalmente germinarão em poucos dias. Sementes armazenadas não germinam tão bem e deverão ser semeadas no início da primavera. Também se pode semear antes da completa maturação do fruto, germinando muito rapidamente e tendo um crescimento mais rápido. Quando as plantas forem grandes o suficiente separe-as em vasos e proteja-as durante o primeiro inverno. Plante-as nos locais desejados na primavera. Como as árvores produzem uma raiz profunda não se deve esperar mais de dois anos para o transplante. Também por mergulhia de ramos basais e estacaria.

Estado de conservação:  NE | DD | LC | NT | VU | EN | CR | EW | EX

* NE (Não avaliada), DD (Informação insuficiente), LC (Não preocupante), NT (Quase ameaçada),VU (Vulnerável), EN (Em perigo), CR (Em perigo crítico), EW (Extinta na natureza), EX (Extinta)

Tendência populacional: decrescente | estável | crescente | desconhecida

Nota: Segundo a Lista Vermelha da IUCN. Estado de conservação a nível global. O seu estado e tendência em Portugal pode diferir.

Designação em inglês / espanhol: Wych Elm / Olmo Montano

ulmeirodesenho.jpg

Rúben Boas

ulmeirof.jpg

Colin Knight

ulmeirofl.jpg

Graham Calow

ulmeirofr.jpg

pluralzed

ulmeirotr.jpg

T.Voekler

ulmeiromapa.jpg

zona mais adequada à plantação