Lúpulo  |  engatadeira, vinha-do-norte

Humulus lupulus L.

Família: Cannabaceae  ; Publicação: 1753

Distribuição geográfica: Zonas temperadas e frias do hemisfério boreal. Grande parte da Europa, América do Norte, norte e centro da Ásia e norte da África. Em Portugal ocorre sobretudo no norte, centro e litoral alentejano.

Caducidade: persistente

Altura / comprimento: até 8 m

Longevidade: entre 10 e 20 anos

Porte: liana herbácea, rizomatosa
Ritidoma: caule volúvel, fistuloso, áspero, com pêlos rígidos, curtos, retrorsos.
Folhas: verdes, opostas, palmadas, serradas e locadas, mais profundamente lobadas as inferiores que as superiores, com 3-5 lobos ou interias, acuminadas, cordadas na base, longamente pecioladas; estípulas ovadas ou lanceoladas, acuminadas, estriadas, sub-membranosas, até 1 cm.
Estrutura reprodutiva: planta dióica; inflorescências masculinas multifloras; inflorescências femininas formando espigas curtas; perianto esbranquiçado ou amarelado, 3-4 mm longo, com sépalas oblongas, obtusas e pubescentes; anteras amarelas sésseis, 2-3 mm longas; estigmas com c.a. 3 mm; fruto, aquénio oblongo, comprimido, com margens carenadas, acinzentado, 2-3 mm longo, envolvido por uma bráctea amarelada persistente.
Floração: fim da primavera, início do verão
Maturação dos frutos: agosto, setembro

Habitat e ecologia: ravinas mais ou menos húmidas e arborizadas. Também junto de cursos de água. Pode ocorrer em montanhas, mas em locais pouco elevados. 0-1000 m. Preferem locais abrigados, com alguma sombra e solo rico, embora possam resistir à seca, assim que estiverem bem estabelecidos. Temperaturas ideais entre os 5ºC e 22ºC, mas até -20ºC no período de dormência. Ph do solo desejável entre 4,5 e 8,2. Têm raízes bastante profundas embora também possuam uma rede superficial de raízes. É uma fonte de alimento para muitas lagartas. As folhas maceradas são aromaticamente frescas e as flores produzem um aroma agradável.

Usos e costumes: tem sido muito cultivado pelas propriedades aromatizantes das glândulas das inflorescências femininas, particularmente pelo seu uso na preparação de bebidas fermentadas. Tem interesse ornamental e sobretudo industrial (na confeção da cerveja pelo aroma e propriedades preservantes).

Modos de propagação: Por semente: semear assim que as sementes estiverem maduras. A germinação é relativamente rápida. Quando as plantas tiverem algum tamanho separe-as em vasos individuais e plante-as nos locais desejados na próxima primavera. Por divisão: na primavera assim que comece o novo crescimento. Por estaca: por volta de março, cortando ramos da base de 10-15 cm de comprimento com parte de ramo subterrâneo. Envase-os e proporcione alguma sombra até que produzam raízes, e depois plante-os no verão.

Designação em inglês / espanhol: Hop / Lúpulo

Estado de conservação:  NE | DD | LC | NT | VU | EN | CR | EW | EX

* NE (Não avaliada), DD (Informação insuficiente), LC (Não preocupante), NT (Quase ameaçada),VU (Vulnerável), EN (Em perigo), CR (Em perigo crítico), EW (Extinta na natureza), EX (Extinta)

Tendência populacional: decrescente | estável | crescente | desconhecida

Nota: Segundo a Lista Vermelha da IUCN. Estado de conservação a nível global. O seu estado e tendência em Portugal pode diferir.

PERIGO: O contacto da planta com a pele causa dermatite em cerca de 3% das pessoas, podendo inclusive causar erupções cutâneas na cara e nas mãos assim como nas pernas. Os pelos da planta podem irritar os olhos. Tem um efeito sedativo que é suscetível de piorar estados de depressão e deve ser evitada durante a gravidez, cancro do útero, mama e cervical. Pode representar risco de morte para cães.

lupulodesenho.jpg

Rúben Boas

lupulofr.jpg

Rúben Boas

lupulof1.jpg

autor desconhecido

lupulof.jpg

autor desconhecido

lupulofl2.jpg

autor desconhecido

lupulofl.jpg

autor desconhecido

lupulomapa.jpg

zona mais adequada à plantação