Hera |  hera-comum

Hedera helix s.l.

Família: Araliaceae

Distribuição geográfica: regiões temperadas Euro-asiáticas. Em Portugal ocorre em praticamente todo o território.

Caducidade: persistente

Altura / comprimento: o caule pode atingir os 30m

Porte: arbusto, trepador ou decumbente
Ritidoma: ramos lenhosos, cinzento acastanhados, longos e flexíveis
Folhas: coriáceas e lustrosas, alternas e dimórficas: as dos ramos floríferos de formato romboidal a ovado, sendo as dos ramos estéreis cortadas a hastadas com 3-5 lóbulos de profundidade variável.
Estrutura reprodutiva: flores em umbelas globosas dispostas na parte terminal dos ramos, solitárias ou em panículas racemosas; pétalas verde amareladas e sépalas castanhas, ambas com formato triangular; fruto globoso, pseudobaga, de cor negro-azulada, com 2-3 sementes.
Floração: de setembro a outubro
Maturação dos frutos: final do inverno, início da primavera

Habitat e ecologia: muito comum em bosques, taludes, rochas, muros e no tronco de diversas árvores. Prospera, em geral até aos 1000m de altitude. Não gosta de solos muito secos e muito ácidos. Planta bastante resistente, tolerando a poluição atmosférica e temperaturas até -25ºC. Estabelece-se tanto em locais solarengos, como muito sombrios, embora nos últimos possa não florir. Excelente planta para a fauna, fornecendo abrigo para pássaros, aranhas, etc. É uma fonte tardia de néctar para os insectos e de sementes como alimento de inverno. É alimento para larvas de muitas espécies de borboletas.

Usos e costumes: utilizada como ornamental, nomeadamente como planta de revestimento. Crescendo sobre uma parede, mantem-na seca, ao mesmo tempo que funciona como isolamento, sendo que raramente danifica estruturas. Também não prejudica as árvores nas quais se suporta, pois não é uma planta parasita.

Modos de propagação: Por semente: remover a polpa, pois inibe a germinação, e semear, na primavera. Quatro semanas de estratificação a frio vão melhorar a germinação. Se quiser faça crescer as plantas em vasos e plante-as nas posições definitivas na primavera do ano seguinte, após as últimas geadas. Por estaca: de madeira semi-madura em julho/agosto num local sombreado. (boa percentagem). Também com estacas de madeira madura, com 12cm de comprimento, em novembro. Finalmente por mergulhia, sendo que as plantas já o fazem naturalmente.

Informações adicionais: espécie assumida num sentido lato, dadas as reconhecidas dificuldades taxonómicas do género e o imperfeito conhecimento da distribuição das várias espécies de Hedera assinaladas em Portugal continental. Ocorrem em Portugal continental três espécies do género HederaH. helix subsp. helixH. hibernica Hort. e H. maderensis K. Koch ex. A. Rutherf. subsp. iberica  McAllister. Os pêlos estrelados das folhas jovens e dos ramos estéreis do ano ( ramos com folhas cordadas e hastadas que não produzem flores) na H. hibernica são esbranquiçados, apresentam um pequeno pé e 4-8(9) raios; na H. maderensis subsp. iberica os mesmos pêlos são vermelho-alaranjados. A H. hibernica  é comum de Norte a Sul do país. H. maderensis subsp. iberica ocorre principalmente na metade Sul de Potugal continental. A H. helix subsp. helix foi detectada no NE de Portugal.

Designação em inglês / espanhol: Ivy / Hiedra

Estado de conservação:  NE | DD | LC | NT | VU | EN | CR | EW | EX

* NE (Não avaliada), DD (Informação insuficiente), LC (Não preocupante), NT (Quase ameaçada),VU (Vulnerável), EN (Em perigo), CR (Em perigo crítico), EW (Extinta na natureza), EX (Extinta)

Tendência populacional: decrescente | estável | crescente | desconhecida

Nota: Segundo a Lista Vermelha da IUCN. Estado de conservação a nível global. O seu estado e tendência em Portugal pode diferir.

PERIGO: A planta é venenosa se for consumida em elevadas quantidades, embora vários mamíferos que comem as folhas não aparentem sofrer com isso. As folhas e frutos contêm uma substância que, se ingerida, pode provocar dificuldades na repiração e até coma. A seiva, no contacto com a pele pode causar dermatite com bolhas e inflamação.

heradesenho.jpg

Rúben Boas

heraf.jpg

Rúben Boas

herafl.jpg

Rúben Boas

herafr.jpg

Rúben Boas

pilriteiromapatotal.jpg

zona mais adequada à plantação