Borrazeira-branca

Salix salviifolia Brot.

Família: Salicaceae  ; Publicação: 1753, subsp. australis 1971

Distribuição geográfica: metade ocidental da Península Ibérica. Em Portugal, por todo o país excepto o litoral norte. A subsp. australis está acantonada ao sul de Portugal.

Caducidade: caduca

Altura: até 6 m

Porte: arbusto normalmente muito ramificado desde a base
Ritidoma: cinzento pouco fendido, raminhos acastanhados ou avermelhados, glabrescentes.
Folhas: simples, alternas, 2-10 x 0,7-2,5cm
Estrutura reprodutiva: flores agrupadas em amentos simutâneos com as folhas, de 3-7 x 1-2cm, sobre pedúnculos curtos, brácteas discolores com longos pêlos; as flores masculinas com 2 estames de filetes livres e 1 nectário, as femininas com ovário piloso, pedunculado e 1 nectário.
Floração / maturação dos frutos: primavera

Habitat e ecologia: margens fluviais, sobretudo cursos de água torrenciais permanentes, com margens instáveis ou de cursos de água temporários. Habita até aos 1700m. Espécie de luz que prefere solos siliciosos. Necessita de humidade permanente e não suporta temperaturas extremas.

 

Modos de propagação: [relativos à Borrazeira-preta, necessita confirmação.] Por semente: deve ser misturada com a terra, à superfície, assim que estiver madura. As sementes têm uma curta viabilidade, apenas alguns dias. Por estaca: deve-se cortar ramos de madeira madura crescida no presente ano, de Outubro a Janeiro, plantá-los nos locais definitivos e afastar outras plantas. Também com estacas de madeira semi-madura, de Junho a Agosto.

 

Informações adicionais: duas subespécies em Portugal continental. Na S. salviifolia subsp salviifolia os raminhos são acinzentado-tomentosos; as folhas são oblongas a oblongo-ovadas, 3-5 vezes mais compridas do que largas, verde-acinzentadas na página superior e com tomento denso, curto, branco e lenoso na página inferior, 13-15 pares de nervuras laterais. Na S. salviifolia subsp. australis Franco, os raminhos são acastanhados ou avermelhados, glabrescentes; as folhas são linear-lanceoladas a oblongo-lanceoladas, raramente obovadas, 5-10 vezes mais compridas que largas, verde-escuro-brilhantes e glabras na face superior e com tomento curto, branco lanoso na inferior, 16-20 pares de nervuras laterais.

Designação em inglês / espanhol: Salvia-leaf Willow / Sarga Blanca

Estado de conservação:  NE | DD | LC | NT | VU | EN | CR | EW | EX

* NE (Não avaliada), DD (Informação insuficiente), LC (Não preocupante), NT (Quase ameaçada), VU (Vulnerável), EN (Em perigo), CR (Em perigo crítico), EW (Extinta na natureza), EX (Extinta)

Tendência populacional: decrescente | estável | crescente | desconhecida

Nota: Segundo a Lista Vermelha da IUCN. Estado de conservação a nível global. O seu estado e tendência em Portugal pode diferir.

borrazeira-branca desenho.jpg

Rúben Boas

borrazeira-branca f.jpg

Paco Garin

borrazeira-branca-fl.jpg
borrazeira branca flor masculina.jpg

Rúben Boas

borrazeira-branca mapa.jpg

zona mais adequada à plantação