Silva  |  amora

Rubus ulmifolius Schott

Família: Rosaceae  ; Publicação: 1818

Sinónimos: Rubus discolor Weithe & Nees

Distribuição geográfica: Oeste da Europa e região mediterrênica e Macaronésia. Em Portugal ocorre em todo o território.

Caducidade: caduca

Altura: até 3 m

Longevidade: até 25 anos, mas visto a espécie conseguir multiplicar-se vegetativamente ganhando raízes através dos seus ramos, pode durar indefinidamente.

Porte: arbusto sarmentoso formando moitas impenetráveis.
Ritidoma: caules arqueados, os produzidos no ano chamados turiões, recobertos por acúleos espaçados e pruinosos quando expostos ao sol.
Folhas: compostas por 3-5 folíolos obovados dispostos palmadamente, desiguais, verde escuros na página superior, cinzento tomentosos na inferior.
Estrutura reprodutiva: flores em panículas piramidais terminais; perianto composto por 5 pétalas de ápice redondo, de branco a rosa, e 5 sépalas de ápice acuminado, cinzento tomentosas; fruto conhecido por amora, uma polidrupa negra, globosa, de sabor doce, ligeiramente ácido.
Floração: maio - agosto
Maturação dos frutos: agosto - setembro

Habitat e ecologia: muito comum em bosques, sebes, campos abandonados e margens de linhas de água. Dá-se em todo o tipo de solos, desde ácidos a básicos e pobres, desde que com alguma humidade. Tanto se desenvolve na sombra como ao sol e tolera temperaturas até -18°C. Os frutos atraem muitas espécies de aves, assim como as flores, insetos. Dependendo das circunstâncias pode ter um comportamento invasor.

Usos e costumes: os frutos são utilizados na confeção de compotas e sumos, vinhos, licores e em pastelaria; as folhas podem ser usadas como sucedâneos de chá.

Valores nutricionais da amora (por 100 g / %DDR):

Energia: 181 kJ (43 kcal)
Hidratos de carbono: 9,61 g
- dos quais açucares: 4,88 g
- dos quais fibra: 5,3 g
Lípidos: 0,49 g
Proteínas: 1,39 g
Água: 88,15 g

Vit. A: 214 IU
Betacaroteno: 128 µg (1%)
Luteína e Zeaxantina: 118 µg
Vit. B1: 0,02 mg (2%) 
Vit. B2: 0,026 mg (2%)
Vit. B3: 0,646mg (4%)
Vit. B5: 0,276 mg (6%)
Vit. B6: 0,03 mg (2%)
Vit. B9: 25 µg (6%)
Vit. C: 21 mg (25%)
Vit. E: 1,17 mg (8%)
Vit. K: 19,8 µg (19%)

Cálcio: 29 mg (3%)
Ferro: 0,62 mg (5%)
Magnésio: 20 mg (6%)
Manganês: 0,646 mg (31%)
Fósforo: 22 mg (3%)
Potássio: 162 mg (3%)
Sódio: 1 mg (0%)
Zinco: 0,53 mg (6%)

Modos de propagação: Por semente: requer estratificação e deve ser semeada no outono. A estratificação deve demorar um mês a cerca de -3°C e devem ser semeadas o mais breve possível no ano. Separe as pequenas plantas em vasos, quando estas tiverem o tamanho suficiente. Plante-as em em definitivo no fim da primavera do ano seguinte. Por estaca: estacas semi-lenhificadas em julho / agosto. Por mergulhia das pontas em julho, plantando depois no outono. Por divisão no início da primavera ou mesmo antes das folhas cairem, no outono.

Informações adicionais: o género Rubus é um dos géneros de maior complexidade taxonómica em Portugal, sendo muito difícil o seu reconhecimento no terreno. Para além desta espécie, ocorrem em Portugal o R. brigantinus, R. canescens, R. castellarnaui, R. galloecicus, R. genevieri, R. henriquesii, R. lainzii, R. peratticus, R. praecox, R. radula, R. sampaioanus, R. vagabundus, R. vestitus e R. vigoi.

Designação em inglês / espanho: elm-leaved bramble / zarzamora

silvadesenho.jpg

Rúben Boas

silvafr.jpg

Rúben Boas

silvaf.jpg

Rúben Boas

silvafl.jpg

Rúben Boas

silvatr.jpg

Rúben Boas

pilriteiromapatotal.jpg

zona mais adequada à plantação